Selecione a sua região:

 

Beber Água Previne Enxaqueca

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Água é Nutriente Mais Importante Para Prevenir Enxaqueca

A água constitui, em média, 70% do nosso corpo. Em alguns lugares, como a córnea, constitui 90%! Até nossos ossos têm 22% de água na sua composição. Beber água é fundamental!

A água é um solvente natural, não apenas para as vitaminas e minerais que ingerimos, permitindo que atuem melhor, mas também para micróbios e substâncias tóxicas, favorecendo a diluição e eliminação. Estar bem hidratado significa facilitar as coisas para o organismo, na manutenção deste elemento tão importante e precioso, que o compõe em grande parte.

Minha recomendação, seja você um sofredor de enxaqueca ou não, é que você não se esqueça de beber água pura todos os dias. Caso esteja praticando alguma atividade esportiva, esta quantidade deverá ser aumentada. A água é o ingrediente principal de qualquer dieta saudável.

Coma  frutas e verduras frescas, pois elas também contêm bastante água. Porém evite sucos de frutas ao máximo. Clique aqui e saiba o motivo.

Leia isto antes de beber água!

Agora, algumas informações importantes sobre este líquido tão precioso e necessário à sua saúde, para que você possa tirar o melhor proveito possível.

Infelizmente, á água que nos é fornecida contém uma série de aditivos, nenhum dos quais é recomendável para sua saúde. Os principais são o cloro, o flúor e o alumínio. O cloro é adicionado à água para matar os micróbios; o flúor, com a desculpa de que proteje os dentes; e o alumínio (hidróxido de alumínio) confere à água um aspecto mais “limpo”, mais transparente.

A verdade é que estes elementos podem ser tóxicos ao ser humano, podendo propiciar ao aparecimento ou à manutenção de doenças. Beber água com elementos tóxicos equivale a se envenenar.

Fuja das garrafas plásticas!

As resinas plásticas são obtidas através da combinação de substâncias químicas artificiais e tóxicas, por um processo denominado polimerização. A poderosa indústria dos plásticos afirma que estas substâncias se interligam de maneira tão intensa, que não há perigo dos seus componentes “vazarem” do plástico, contaminando o produto embalado.

O que a indústria não diz é que nada nesse mundo sintético, nem mesmo o processo de polimerização, é perfeito! O processo deixa traços de produtos químicos tóxicos “soltos”, capazes de migrar do plástico para o que quer que esteja em contato com ele, seja alimento, água ou o seu próprio corpo.

Estas substâncias recebem o nome de disruptores endócrinos, disruptores ambientais ou xenohormônios – pseudohormônios. Elas podem se acumular no organismo, levando ao desequilíbrio hormonal.

Alguma dúvida quanto à relação do desequilíbrio hormonal e a enxaqueca?

O argumento da indústria de plásticos é que são obedecidas todas as normas legais e padrões internacionais. A indústria até admite que haja alguma mínima migração de substâncias, porém em quantidades tão extremamente baixas que não chegam a causar mal.

Plásticos liberam disruptores endócrinos.

O problema – hoje se sabe – é que os disruptores hormonais podem atuar em concentrações extremamente baixas, na ordem de trilionésimos. O detalhe é que na época da criação das normas reguladoras, o mundo não sabia disso. O resultado é que não existe, no mundo inteiro, nenhuma norma regulamentadora que nos proteja de alguma coisa diluída em partes por trilhão, na água, no alimento ou no organismo!

O pior é que estes disruptores hormonais possuem efeito cumulativo. Quanto mais você usa, pior.

No Brasil, as embalagens “da vez” são de uma resina plástica denominada polietileno tereftalato, PET. É verdade que pode ser considerada uma resina de boa qualidade e existe a alegação que não confere sabor de “plástico” à água; porém, infelizmente, não está isenta dos problemas acima.

As embalagens das melhores águas minerais do mundo são, obviamente, de vidro. Os ingredientes utilizados para a produção do vidro são totalmentee naturais, como o carbonato de cálcio, hidróxido de sódio, areia, rochas cristalinas, etc. Estes materiais são basicamente inertes, não tóxicos e recicláveis.

Já existem em alguns países da Europa, bem como nos EUA, um movimento para valorizar a qualidade da água que bebemos. São realizadas degustações, palestras e formam-se confrarias; tudo isso para fomentar o interesse e o consumo de água de boa qualidade.

Aprenda (ou Reaprenda) a Beber Água

Desenvolver o gosto e o hábito de tomar água não é assim tão difícil. Você pode tomá-la à temperatura ambiente ou gelada (cuidado, gelada para algumas pessoas, pode desencadear crises de enxaqueca), e até morna, segundo a milenar medicina ayurvédica. Se acha a água um tanto sem gosto, tente prestar mais atenção ao ingeri-la.

A água possui nuances de sabor muito sutis, e ao mesmo tempo muito importantes, que farão com que você goste – ou não – dela. Tudo depende dos minerais nela contidos.

Você achava que a água não possui sabor nenhum? Pense de novo! Os cervejeiros sabem que uma excelente cerveja é resultado do malte, da cevada e também da água. A água da cerveja pilsen, por exemplo, deve possuir um grau mais baixo de mineralização.

Sabe qual é a alma do whiskey? A água! Somente na Escócia a turfa das regiões montanhosas é capaz de conferir à água puríssima dos rios a composição mineral necessária para os melhores whiskeys do mundo.

Os verdadeiros degustadores de café ou chá sabem, com certeza, o quanto uma água de má qualidade pode acabar com estas bebidas. tanto no que diz respeito à sua cor como ao seu sabor.

Nem toda água é igual!

Tem dificuldade de distinguir os sabores da água? Faça o que faríamos em qualquer degustação: guie-se pelos extremos. Tome primeiro um gole de água destilada (desprovida de minerais). Não resta dúvida que falta “alguma coisa”, não é mesmo? Agora tome um gole de água de torneira (contém um monte de minerais como cloro – até demais!). Opa, essa água “tem coisa sobrando” – tem até gosto de cloro!

Em algum lugar entre esses extremos, encontra-se a água ideal. Equilibrada. Harmoniosa. Que “desce redonda”!

Os verdadeiros apreciadores de água preferem as melhores águas minerais engarrafadas. Espero que este artigo sirva de estopim para uma nova tendência no Brasil: a de que cada vez mais pessoas conheçam e busquem, para suas vidas, a água da melhor qualidade.

A água é o principal e mais essencial ingrediente da dieta para quem não quer ter enxaqueca. Beba bastante!

Como Beber Água Para Ter Menos Enxaqueca

Beba água!! Pouca água, muitas vezes ao dia. Todos os dias do ano e, principalmente, nos períodos de calor.

Sem gelo ou, no máximo, fresca, um pouco fria (mas não muito). Lembre-se que o o processo digestivo, assim como qualquer coisa no interior do seu corpo, funcionam melhor a ~37°C, e nós não queremos perturbar esse equilíbrio térmico com água muito fria.

Culturas milenares, como a medicina ayurvédica (Índia) recomendam beber água morna pela manhã ao levantar, diariamente. Eu tambem recomendo.

Não beba outros líquidos por algum tempo (3 meses). Desintoxique-se!

Beba água de Purificador de Água  e evite ao máximo garrafas e copos plásticos. Recipientes de vidro são ideais.

Muitas pessoas não estão mais acostumadas a beber água. Preferem sucos ou refrigerantes. Estranham, quando voltam a fazê-lo. Mas ao longo de várias semanas, você vai sentir que seu grau de energia e vitalidade aumentam, especialmente ao final do dia, naquele horário em que você normalmente sentiria o peso da jornada de trabalho nas suas costas. Mais parece o efeito de um tônico – é inacreditável!!

Descubra como a água pode ajudar, desta forma, a fazer você viver melhor, reduzindo seu stress e suas dores de cabeça, seguindo esta simples, porém importante recomendação.

Fonte: Dr. Alexandre Feldman

Shopping Cart
× Como posso te ajudar?