Privatização da água ameaça meio ambiente e saúde humana

Saúde humana

Se o meio ambiente vai sofrer os impactos trazidos com a privatização, com a saúde humana não será diferente. A produção de plásticos para o envase de águas tem entre as matérias primas substâncias como os ftalatos, o bisfenol A e os alquilfenóis.

O uso crescente dessas substâncias na indústria está associado ao aumento dos casos de câncer, sobretudo de mama e do aparelho reprodutor de ambos os sexos, de malformações congênitas  e infertilidade. Estima-se que adoecem e morrem os que trabalham nessa indústria e os que utilizam esses produtos.

Engenheira química e professora titular do campus Curitibanos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Sonia Corina Hess revisou estudos científicos sobre essas substâncias e os males associados a elas.

Ela afirma, no entanto, que o risco de contaminação da água por essas substâncias presentes nas embalagens é pequeno. “A água é uma substância (polar) que tem pouca afinidade química por estas substâncias (apolares). Isto dificulta o transporte destes materiais do plástico, para a água. Essa contaminação depende de altas temperaturas, por tempo prolongado, como exposição ao sol”, diz.

Seja como for, deveria prevalecer o princípio da precaução, com ações antecipatórias para proteger a saúde das pessoas e dos ecossistemas.

Clique aqui e leia a matéria completa.

Compartilhe: