Hábitos alimentares e consumo de água ajudam no funcionamento do intestino

Algumas doenças podem estar por trás dessa dificuldade de ir ao banheiro. A constipação pode ser aguda – quando acontece um episódio e depois regulariza – ou crônica – vários dias com dificuldades para ir ao banheiro.

 Quem tem intestino preso nem sempre gosta de falar sobre o assunto. Entretanto, algumas doenças podem estar por trás dessa dificuldade de ir ao banheiro. Por isso, é muito importante procurar um especialista. A constipação pode ser aguda – quando acontece um episódio e depois regulariza – ou crônica – vários dias com dificuldades para ir ao banheiro.

O cirurgião do aparelho digestivo e consultor Fabio Atuí e o nutricionista Murilo Pereira, explicaram que três fatores caracterizam a constipação: dor e esforço para evacuar e consistência do cocô.

Segundo os especialistas, existem três fases comuns de constipação na infância. A primeira é quando a criança deixa o leite materno e passa a comer papinhas, por exemplo. Depois, quando começa a tirar as fraldas. A terceira fase é quando as crianças passam a frequentar a escola e precisam ir ao banheiro público. Fatores emocionais, hereditários, hábitos de vida e alimentação também influenciam. O ideal é que a criança vá ao banheiro todo dia ou um dia sim, um dia não.

Nos bebês

A constipação ocorre principalmente quando a introdução alimentar é iniciada. Alguns alimentos podem travar o intestino. A cólica e a diarreia também podem ser sintomas de alimentos mal digeridos.

É importante variar a alimentação durante a introdução, sempre com alimentos de verdade – legumes, vegetais, frutas. Evitar também alimentos que possam causar alergias e beber água diariamente.

Nas crianças

Alguns fatores podem provocar a constipação: falta de água, falta de fibra e excesso de doces. É muito importante manter a hidratação.

Nos adultos

A lista de constipação nos adultos é um pouco maior:

  • Uso de chá diurético para emagrecimento
  • Dietas muito restritivas, principalmente as que são ricas em proteína
  • Uso de alguns medicamentos
  • Alergia alimentar
  • Pouca ingestão de água
  • Sedentarismo
  • Postergar a ida ao banheiro

É preciso olhar os hábitos, adequar o consumo de alimentos com alto teor de fibras solúveis e não tomar laxante sem indicação médica.

Nos idosos

O idoso pode precisar usar enzimas digestivas que vão auxiliar na digestão das proteínas. O ideal é consumir proteínas de mais fácil digestão como peixe, frango e proteínas vegetais. Evitar consumo de queijo e comer farinha.

Retocele – o que é?

A retocele é uma dilatação do reto causada por força crônica na hora de fazer cocô. O tratamento envolve melhora do hábito intestinal e fisioterapia. “É importante colocar fibras na alimentação. As fibras solúveis absorvem água. Com isso, elas mantêm a textura desse bolo fecal na consistência mais adequada. As fibras insolúveis são as cascas, bagaços, talos e são importantes para ficarem no intestino dando forma, peso”, explica a nutricionista Tânia Rodrigues.

 O equilíbrio entre as fibras solúveis e insolúveis e o consumo de muita água garante que o intestino funcione corretamente, sem precisar de esforço para trabalhar.
Compartilhe: